segunda-feira, 2 de agosto de 2010

As Coligações nas Eleições para Governador

Nas eleições de 2002 e 2006, as coligações dos partidos no âmbito estadual deveriam estar alinhadas às coligações nacionais (vericalização). Uma emenda constitucional derrubou esta exigência de verticalização. Os partidos voltaram a ter liberdade para fazer as coligações nos estados, mesmo se eles forem adversários na disputa presidencial.
Qual é o padrão das coligações dos partidos nos estados? Será que elas acompanham o padrão das coligações nacionais?
A Revista Época publicou na semana passada (edição 636) um infográfico que resume o padrão das coligações estaduais entre os 12 principais partidos.
A imagem central, reproduzida abaixo, é muito interessante, mas exige uma razoável atenção para ser compreendida. As linhas que ligam as esferas expresam o número de alianças entre os partidos. Na parte inferior, uma tabela apresenta o número de vezes que um partido apoiou ou recebeu o apoio de outro. Novamente, a tabela exige uma observação cuidadosa para que captemos os padrões.

Coligações para Governos Estaduais. Número de Estados em que os Principais Partidos Estão Coligados. Eleições de 2010.




Com base nos dados apresentados pelo infográfico da Revista Época, produzi o Gráfico abaixo. Ele apresenta o número de estados em que dois partidos estão coligados. O tamanho dos quadrados é proporcional ao número de vezes em que houve aliança.
As cores identificam as coligações feitas pelos partidos nas eleições presidenciais (partidos na vertical): vermelho (PT, PCdoB, PSB, PDT, PMDB e PR); Azul (PSDB, DEM, PPS e PTB); verde (PV); laranja (PP). O PP não lançou candidatos e nem participa oficialmente de nenhuma coligação. A melhor maneira de ler o Gráfico é na vertical, pois permite observar as alianças em que os partidos não foram congruentes com as coligações na disputa presidencial.
O Gráfico mostra quais são os parceiros preferenciais de cada partido. Interessante observar que PT e PCdoB não se coligaram nenhuma vez com o DEM e PSDB.



São necessárias análises mais aprofundadas comparando o padrão das coligações desde 1994. Minha impressão é que a bipolarização nacional entre PT e PSDB e seus respectivos aliados está afetando as disputas estaduais. Muito mais do que nas disputas dos anos 1990. Talvez a verticalização tenha deixado suas marcas no sistema partidário dos estados. A ver.

2 comentários:

  1. ótima iniciativa, jairo! comentários interessantes com base em dados relevantes e belos gráficos informativos. não fica a dever nada para um monkey cage.

    encontrei o marcelo vieira no último curso do mq em minas e ele me deu notícias animadoras sobre a instituição q substituirá o iuperj. estou aqui na torcida! grande abraço e sucesso nesta nova empreitada!

    ResponderExcluir
  2. Salve Luiz,
    Obrigado pelos comentários.
    A ideia é enfatizar as evidência quantitativa, preferencialmente com ênfase na visualização.
    Criamos o IESP na UERJ. Aos poucos as coisas vão ficando mais serenas.
    Alguma dica, passe que eu comento aqui.

    ResponderExcluir