sábado, 14 de agosto de 2010

Onde foram parar os 2 pontos do Datafolha?

Quem teve a paciência de somar o resultado da pesquisa do Datafolha deve ter percebido que faltaram dois pontos:
Dilma (41) + Serra (33 )+ Marina (10) + Outros (0) + Brancos e Nulos (5) + Não Sabe (9) = 98
Por esses números, Dilma estaria com 49 % dos votos válidos. Não entendi como o jornal achou os 3 pontos da manchete de hoje:
“Dilma ultrapassa Serra e fica a 3 pontos de vitória no 1° Turno”

A evolução dos votos válidos

Existe a possibilidade de as eleições presidenciais deste ano serem definidas já no primeiro turno. Por isso, a cada publicação de uma nova pesquisa as contas serão feitas levando em conta apenas os eleitores que declararam voto para um dos candidatos (votos válidos). O que nos leva a excluir os eleitores que não sabem em quem vão votar, não responderam, ou declararam que irão votar em branco ou anular o voto.
Fiz um gráfico com os votos válidos das pesquisas feitas por dois institutos (Ibope e Datafolha) a partir de abril. Procurei respeitar a escala temporal, por isso no gráfico abaixo cada ponto na horizontal é um dia. Com isso a comparação entre a evolução dos dois institutos pode ser feita com mais precisão. Para facilitar a visualização considerei apenas o último dia que a pesquisa foi a campo.
Em geral, os gráficos sobre a disputa eleitoral não respeitam a escala temporal. Não importa a distância no tempo que as pesquisas foram feitas elas sempre aparecem no gráfico com espaços uniformes. Veja o gráfico publicado hoje pelo O Globo (página 3) sobre os resultados da pesquisa do Datafolha. O mesmo acontece com a divulgação da Folha de São Paulo (primeira página). Este formato de apresentação de dados acaba distorcendo a percepção sobre a evolução dos candidatos.
O que fazer com os dois pontos que sumiram da pesquisa do Datafolha publicada ontem? Eles foram alocados para os outros candidatos. Assim, pelas minhas contas, Dilma tem 48% dos vos válidos.



Em que pese o fato de os dois institutos utilizarem amostras e metodologias diferentes, as tendências são mais ou menos convergentes: a estabilidade de Marina em torno de 10/12 pontos; o empate dos dois principais candidatos entre meados de maio até meados de julho; uma lenta ampliação da vantagem de Dilma a partir de então.
Não esqueci da variação da margem de erro. Mas estou convencido que elas não podem ser utilizadas em pesquisa por quota. O tema é controverso e tecnicamente complexo. Volto a ele em outra oportunidade.

2 comentários:

  1. Isto é pior do que aquelas fotos de chuva-de-meteoros fajuta, que, na realidade, eram fotos de diafragma aberto, ou negativos com longa exposição (horas).

    ResponderExcluir
  2. O problema é das casas decimais. Para resolver deveriam divulgar igual a SENSUS. Porém confunde o telespectador. Abs. Malco

    ResponderExcluir