quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Votação de Lula e do PT para Câmara dos Deputados: uma nova contribuição

O descolamento entre a votação do Lula e do PT é um tema bastante explorado. Uma simples observação do Gráfico abaixo (dados para os estados) mostra como a votação obtida por Lula é sempre maior da que a obtida pelo PT nas eleições para a Câmara dos Deputados. Essa distância não decorre exclusivamente do fato de Lula concorrer por uma coligação de partidos. Lula foi sempre maior que os votos obtidos pelos partidos de sua coligação para a Câmara dos Deputados.
Observe como a relação entre Lula e PT em 2006 é mais espalhada (menos linear) do que nos anos anteriores.

Correlação entre Votos do PT para Câmara dos Deputados e a votação de Lula para Presidente (Primeiro Turno) nos estados brasileiros.



Um artigo sobre os votos de Lula e do PT na Câmara dos Deputados

Os cientistas políticos Gláucio Soares (IESP-UERJ) e Sonia Terron (IBGE) fizeram um excelente artigo Lula e o PT:
O Progressivo Distanciamento entre as Bases Eleitorais (1994 a 2006) analisando as diferenças das bases sociais dos votos de Lula e do PT para Câmara dos Deputados.
O texto é denso e usa um instrumento estatístico pouco empregado no Brasil (regressão espacial) para a análise de dados. É o trabalho mais cuidadoso que li sobre o tema. Recomendo a leitura.

Reproduzo abaixo as principais conclusões do artigo:

"1. Houve dois estágios do distanciamento:
Não foi possível identificar um momento único de distanciamento. Devido às semelhanças entre o período de 1994 a 2002, e as diferenças marcantes em 2006, diferenciamos os dois tempos ou estágios como o ciclo da eleição, que vai de 1994 a 2002, e o ciclo da reeleição, em 2006.
2. A interiorização começa em 2002
A expansão territorial do partido ocorre dos grandes espaços urbanos prósperos para as cidades menores situadas em espaços rurais mistos (consolidados, enriquecendo com alta desigualdade, pobres ou de pouca densidade econômica). Esta interiorização se evidencia em 2002, na votação para a presidência, e em 2006 na votação do PT para deputado federal.
3. A Interiorização toma rumos diferentes:
O deslocamento toma rumos diferentes: os altos percentuais de votos dados a Lula seguiram para o sudeste, em 2002, e para o norte e nordeste em 2006; e os altos percentuais de votos do PT se deslocaram para o Mato Grosso do Sul.
4. O PT perde as bases eleitorais do Sul:
Os territórios eleitorais de Lula e/ou do PT nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, detentores de altos percentuais de votos em 1994 e 1998, sofreram uma retração em 2002 e foram praticamente extintos em 2006.
5. Os Territórios Eleitorais em comum diminuem:
Os territórios eleitorais em comum de Lula e do PT, que no primeiro ciclo (1994 a 2002) variaram entre 386 e 435 municípios, passaram a 115 municípios em 2006. Destes, apenas 13 são municípios do centro-sul. Os demais são do norte e nordeste do país".

2 comentários:

  1. Professor Jairo,

    eu sempre acompanho o seu blog, as informações que você disponibiliza aqui são muito boas, sempre objetivas e claras.
    somente hoje quando cliquei no link para acessar o artigo mencionado reparei no domínio iesp.uerj, já existe algum site para informação sobre o instituto recém-criado?

    Rodrigo Chaloub Dieguez

    ResponderExcluir
  2. Rodrigo,
    Os professores do antigo IUPERJ estão organizando um novo instituto de pesquisa na UERJ.
    O site com as informações deve entrar no ar nos próximos dias: www.iesp.iuerj.br

    ResponderExcluir