sábado, 23 de outubro de 2010

O significado dos votos nulos

Os estudiosos das eleições têm por hábito somar os votos nulos e em brancos. Afinal, eles não tem serventia para eleições proporcionais (eles são excluídos para o cálculo do quociente eleitoral) e das majoritárias (elas são desconsideradas para saber se haverá ou não o segundo turno).
Pelo menos na disputa para presidente deste ano, os votos nulos e brancos mostraram padrões muito diferenciados.
O gráfico abaixo separa o percentual de brancos e nulos por região e população dos municípios (quatro faixas) para presidente em 2010.
A taxa de votos em branco é em média de 3% e praticamente não varia quando observamos as regiões e o tamanho dos municípios.
Os votos nulos também quase não variam em quatro das cinco regiões do país. O que chama a atenção é a alta taxa de votos nulos nas pequenas cidades do Nordeste (até 100 mil habitantes).
Uma hipótese é que os eleitores de baixa renda e escolaridade teriam mais dificuldade de votar na urna eletrônica. Assim, o voto nulo seria fruto do erro na hora de votar e não da ação deliberada do eleitor (nulo por protesto).
É bom lembrar que os eleitores de baixa escolaridade estão concentrados justamente nas pequenas cidades do Nordeste.



O cientista político Vitor Peixoto me enviou um gráfico que reforça a hipótese de associação entre situação social do município e votos nulos. O gráfico correlaciona o percentual de votos nulos com a taxa de analfabetismo de pessoas com mais de 15 anos (2006). A associação é forte, aliás ela apresenta valores que não são facilmente encontrados nas pesquisas de ciências sociais. Observe abaixo:

3 comentários:

  1. professor, e a questão da abstenção? tenho lido matérias que falam sobre a desatualização do cadastro de eleitores. isso faria com que muitas das ausências que poderiam ser entendidas como "protesto" ou "descaso" com a política, sejam fruto, simplesmente, de um cadastro eleitoral antigo, que não reflete a situação real. o tre-rs publicou uma matéria comparando a abstenção nas cidades que utilizaram o cadastro biométrico (e que, portanto, precisaram recadastrar os cidadãos entre 2009 e 2010) e nos demais municípios. os dados são bem interessantes. o texto da matéria segue abaixo, e o link para a tabela, em seguida. qual sua opinião sobre o tema, professor jairo? grande abraço.

    "Canoas e cidades com cadastro biométrico apresentaram baixo índice de abstenção eleitoral

    15/10/2010 14h53min

    Entre o final de 2009 e maio de 2010, mais de um milhão de eleitores de 57 municípios brasileiros passaram pelo processo de recadastramento biométrico. Neste período, os cidadãos tiveram que comparecer aos cartórios eleitorais com documento de identidade e comprovante de residência para poderem registrar suas digitais e fotografia. Em geral, os números relativos ao comparecimento de eleitores no momento da votação refletiram a atualização do cadastro de eleitores. A média de abstenção nas cidades com votação biométrica ficou em 9,9%, enquanto a média nacional foi de 18,1%. Apenas 5 destes municípios tiveram índices de abstenção superiores aos obtidos na eleição geral anterior, em 2006.

    O município de Canoas, único no Estado, e maior no país, a utilizar a nova tecnologia, apresentou índice de abstenção de 6%, menos da metade da média estadual, que, em 2010, foi de 14,8%. Na eleição de 2006, o não-comparecimento dos canoenses chegou a mais de 12%. Na avaliação da Justiça Eleitoral gaúcha, a baixa abstenção foi motivada pela atualização dos dados dos eleitores mas, também, pela novidade que a tecnologia representou. O Tribunal Superior Eleitoral prevê a expansão do cadastramento biométrico a todos os municípios do país até a eleição geral de 2018, agregando mais segurança ao processo de votação e qualificando as estatísticas dos resultados dos pleitos.

    A seguir, tabela com os índices de abstenção nas 57 cidades que passaram pelo recadastramento biométrico entre 2009 e 2010. As informações foram obtidas junto ao Tribunal Superior Eleitoral."

    link: http://www.tre-rs.gov.br/index.php?item=1158

    ResponderExcluir
  2. Prezado Rodrigo,
    Muito interessante estes dados. São evidências fortes de que a abstenção está mais associada aos problemas de cadastro, do que ato deliberado dos eleitores de ficarem em casa.
    Muito obrigado.
    Jairo

    ResponderExcluir
  3. eu que agradeço pela atenção, professor. não há outro espaço que fale de eleições com tanta propriedade e com tanta SERENIDADE.

    ResponderExcluir